Call of Duty Black Ops 4 e mais um jogo da franquia de COD e é produzido pela Activision.
Este título é provavelmente o mais ambicioso que vimos nos últimos anos, apesar da falta do modo história do jogo.
Até conseguimos entender o facto de não termos um modo história, tendo em conta que BO4 acaba por se focar no modo multiplayer, no modo zombies e modo Blackout. Assim sendo temos de admitir que o jogo vale o preço que nos é cobrado.

 Eu sou daquelas pessoas que gosta de um bom modo história e apesar de este jogo não ter um modo história tenho de admitir que o modo Blackout faz com que o jogo seja muito divertido e nos faz esquecer facilmente a ausência do modo história.


Com a ausência do modo história que normalmente é baseado em missões Call of Duty Black Ops 4 tenta unir os jogadores ao redor do multijogador e de uma série de missões tutoriais que fazem a introdução ao jogo.


 Essas missões apresentam-nos os especialistas que são usados no modo competitivo e falam um pouco sobre a história e as suas actividades. Infelizmente a simplicidade destas missões faz-nos querer um modo história que nos apresente todas as armas e especialistas no jogo.


Multiplayer...
O multiplayer de Call Of Duty Black Ops 4 pode ser um dos melhores que a série já viu, ele consegue incluir dispositivos de alta tecnologia e habilidades especiais sem sacrificar o combate entre ambas as partes. O jogo ficou bem mais terra a terra sem jogadores a voar ou a correr pelas paredes.

Algo que gostei muito deste jogo foi a sensação de peso das armas, algo que até agora só tinha visto acontecer em jogos como Titanfall 2 e Destiny 2. Agora conseguimos sentir o coice das armas de franco-atirador e até mesmo nas armas pesadas algo que não acontecia no passado e que veio dar muito mais realismo ao jogo.

 Acredito que a maior mudança do Modo Multiplayer é o seu sistema de cura,  agora não recuperáveis do dano sofrido escondendo nos atrás de qualquer tipo de cobertura por alguns segundos.  Em vez disso existe um botão dedicado para nos curar nos com injecção que recupera a nossa saúde ao longo do tempo,  agora perdemos pouquíssimos segundos para aplicar esta injeção e poucos segundos são necessários para sentirmos o efeito da recuperação.

 Desta vez não estamos indefesos em maior parte das nossas ações quer seja a saltar por cima de um muro ou a escalar uma parede nós temos a capacidade de disparar em direção ao nosso inimigo até mesmo quando mergulhamos.

 Velocidade de desbloqueamos novas armas e acessório é grande vai ser difícil não conseguir um ou dois pares de armas ou extras para essas mesmas armas a cada 3 partidas. A nossa subida de nível vai depender unicamente do nosso desempenho em jogo, e rara será a altura em que poderá culpar o especialista pelo seu mau desempenho em jogo.

Zombies...
O modo zombies está de regresso a Call of Duty Black Ops 4 e desta vez com muito do que se aprendeu em World of War 2.
O jogo conta com dois enredos separados e divididos em 3 missões e 3 mapas que parecem drasticamente diferentes uns dos outros e que tem muito para os fãs desfrutar.
Temos o modo "Voyager of Despair" que acontece no Titanic durante um assalto que deu errado. Nós e os nossos colegas de equipa teremos de ir para as profundezas do navio nadar através da água gelada afastando as hordas de mortos-vivos.

Temos ainda um modo bem bizarro, algo saído da antiga Roma com duelos em arenas onde iremos ter zombies guerreiros romanos que empunham machados e até tigres que nos atacam de forma a nos derrubarem. Este modo tem numa estrutura multi nível e a arquitetura deste modo faz com que seja uma adição muito bem-vinda.

Uma das missões preferidas de todo o público que tem jogado este jogo é mesmo o “Blood of the Dead”, um evento que acontece em Alcatraz onde temos as zonas internas e externas carregadinhas dos zombies tradicionais, de monstros um pouco maiores e de cães que explodem e rebentam com tudo o que está próximo.

Alcatraz é sem dúvida um cenário bem conhecido de jogadores de jogos de horror, aqui temos uma Alcatraz bem mais horrenda com blocos de células de inimigos, áreas maiores e uma gôndola toda eletrificada que nos dão uma realidade completamente diferente do que estamos acostumados a ver em Call of Duty.

A estrutura dos labirintos são gigantescos, mas com alguma exploração iremos facilmente saber onde se encontram todos os botões e itens que precisamos para aceder a novas e melhores armas e equipamentos. Todas as vantagens e habilidades especiais dão aos jogadores uma vantagem que somente lhe serve para sair da maioria dos perigos, não o tornam num deus. Assim sendo as vantagens até que não são assim tantas, o jogador vai depender maioritariamente da sua habilidade com as armas.

O modo Zombies pode ser jogado sozinho, com mais três jogadores ou com mais três colegas de equipa controlados pelo computador. Acabei por perceber que a última opção acaba por ser a mais viável.

Este modo de jogo é bastante divertido, principalmente se for jogado com amigos… vão ser bons momentos de gargalhada.

Blackout...
O modo Blackout é sem dúvida alguma o melhor modo de combate Battle Royale que alguma vez já vimos.
O jogo segue a mesma linhagem do conhecido jogo PlayerUnknown, mesmo a nível gráfico o  modo Blackout acaba por ser muito idêntico a PlayerUnknown.
 Felizmente a sua simplicidade não há fosca diversão que nós Estamos prestes a ter ao jogar o modo Blackout. Algo que me entusiasmou pela positiva foi o facto de termos todos os mapas até agora conhecidos do modo online de Call of Duty integrados no gigante mapa acaba por ser o mapa do modo Blackout.

Inicialmente estamos num helicóptero de onde iremos escolher a nossa possível aterragem e de onde iremos saltar. Assim que chegamos a terra iremos revistar edifícios e tentar construir o nosso arsenal de forma a nos prepararmos para o combate com outros jogadores. Temos também o campo de força que vai apertando de tempo a tempo de forma a diminuir a área de combate para que seja mais fácil encontrar os outros jogadores.

Tudo soa a bem simples de se jogar, e é bem verdade, qualquer jogador que tenha o mínimo de conhecimento de um Battle Royal saberá como tudo se desenrola. Mas por outro lado, isto não quer dizer que BO4 Blackops não trás nada de novo ao género.
Temos uma combinação dos controlos de Call of Duty e um excelente design, algo que facilmente afasta a concorrência.

Conclusão…

Call of Duty BO4 é um jogo bastante divertido e vale cada euro que ele custa. Apesar de este jogo ser desprovido de um modo história que muitos jogadores adoram, ele conta com uma apresentação de cada um dos especialistas, o que acaba por ser uma espécie de introdução ao jogo.

O modo zombies é sem duvida um dos pontos fortes do jogo, com um modo diferente do que nos haviam apresentado antes, e que nos da horas e horas de diversão.

Mas a cereja no topo do bolo é o modo “Blackout”, temos um mapa gigantesco criado com todos os mapas que já vimos em Call of Duty Black OPS e com as armas e gadgets que tão bem conhecemos.

É um jogo que vale cada cêntimo investido e que certamente irá ser um dos melhores jogos Battle Royal existentes da atualidade.