REVIEW – Marvel Avengers

REVIEW – Marvel Avengers

Dezembro 6, 2020 Não Por Perplera

Sei que este jogo já saiu no decorrer de 2020 mas só agora tive oportunidade de trazer este excelente jogo, estou a falar claramente de Marvel´s Avengers. Marvel Avengers é um jogo em terceira pessoa de Ação e Aventura com alguns elementos de RPG. Este jogo foi desenvolvido pela Crystal Dynamics e publicado pela Square Enix e chegou ao mercado em Setembro de 2020.

Algo que me deixou bastante intrigado foi o facto de o jogo se chamar Avengers mas o foco do jogo não serem propriamente os heróis que compõem a equipa dos Avengers (Iron Man, Hulk, Thor e mais), o jogo foca a sua história na jovem Kamala Khan. 

 

Quem é Kamala Khan?

Kamala Khan não é uma personagem recentemente criada, ela é a atual Miss Marvel. Diz-se que a primeira vez que esta personagem apareceu pode ter sido no ano de 2013 na edição número 13 da Capitã Marvel (uma menina que aparece por breves momentos durante uma luta da Capitã Marvel e pede às pessoas que estão nas ruas que se escondam).  Mais tarde, na edição 17, esta mesma personagem (uma menina), aparece no seu quarto com vários posters de super heróis e que segundo consta foi a partir desta altura que Kamala Khan começou a aparecer na história da Marvel) havia também demonstrado ter super poderes). 

Mas porquê que kamala aparece assim do nada num jogo dos Avengers? A resposta é simples, já há algum tempo que o público cobrava a Marvel personagens novos, estavam cansados dos mesmos super heróis a toda a hora tanto em jogos como em filmes e séries. Assim sendo a Marvel aparece com uma personagem nova e com uma história interessante e usa os heróis mais conhecidos para alavancar esta nova personagem.

Não é que esta personagem seja totalmente nova para os seguidores das histórias da Marvel, afinal de contas Kamala Khan firmou-se como personagem da Marvel em 2014 com a sua própria BD de nome Miss Marvel, nome que foi da Capitã Marvel até 2012.

A criadora da personagem Kamala Khan foi Gwendolyn Willow Wilson que queria criar uma personagem com traços da sua cultura, e assim nasce Kamala Khan, uma jovem nascida nos Estados Unidos (New Jersey) que vem duma família imigrante vinda do Paquistão. podemos dizer que é a primeira heroína da Marvel totalmente muçulmana e com traços bem diferentes que iria brilhar muito em todo o mundo. podemos dizer que esta personagem é a representação de todas as crianças ao redor do mundo que são fãs da Marvel e que vêm nos super heróis uma inspiração. 

Nesta altura, em que Kamala aparece, a Marvel estava bem focada nas suas BD´s e na história da Capitã Marvel falava-se muito nos inumanos e nos seus poderes.

Mas qual a diferença entre os mutantes e os inumanos? É disso que eu irei falar agora para que seja tudo mais claro para os leitores.

 

Inumanos e Mutantes…

Kamala Khan é uma verdadeira nerd que adora ler BD´s, jogar videojogos e considera a Capitã Marvel a sua grande heroína. É uma jovem que se tenta integrar na sociedade ao seu redor mas que de alguma forma sofre o mesmo que alguns jovens e acaba por ser afastada e isolada pelos seus colegas de escola. 

Comecemos pelo início de forma a que os leitores que não estão tão dentro deste mundo da marvel possam seguir o raciocínio. os inumanos são humanos que nasceram sem qualquer tipo de poderes e que são resultado de experiências que os levaram a ficar com algum tipo de poder. Temos exemplos como o Hulk, Spider-Man, 

O responsável por este tipo de mutações é um cristal chamado Terrigen que ativa o gene inumano. A raça dos Kree (raça existente há mais de 6 milhões de anos), foi a responsável pela criação deste cristal e creio que os primeiros inumanos conhecidos e aclamados na terra foram o Quarteto Fantástico (Fantastic 4).

Já as personagens dos X-Men são mutantes, eles nasceram com as suas mutações e sempre viveram com esses poderes.

De qualquer forma, tanto os inumanos como os mutantes sofrem da mesma forma, não são aceites pela sociedade, sentem vergonha em alguma fase da vida, tentam esconder a sua mutação e muito mais.

 

História…

A história conta um pouco sobre Kamala Khan, no início da história vemos Kamala Khan fugir de casa contra a vontade dos seus pais para poder ir a uma festa. Quando ela está na festa ela sofre bullying e acaba por abandonar a festa totalmente desolada. Ao sair da festa a nossa personagem entra em contacto com uma névoa que estava espalhada pela cidade que faz despertar os poderes dos inumanos.

Quando esse contacto acontece a jovem Kamala desmaiou e tem então uma visão com o Capitão América, Iron Man e a Capitã Marvel, nessa visão a Capitã Marvel pergunta a Kamala que poder ela gostaria de ter se ela pudesse escolher qualquer coisa. É claro que a resposta da jovem Kamala foi “ser como tu”. Após sair dessa visão, Kamala sai de uma espécie de casulo com uma aparência idêntica à de Capitã Marvel. É claro que quando Kamala dizia que gostava de ser como a Capitã Marvel, ela não se referia à aparência física, mas sim ao facto de ter uma aparência que não fosse julgada pelos outros. Com tudo isto a jovem Kamala começa a sentir-se confusa com tudo isto e o seu aspeto vai alternando entre a sua aparência e a aparência da Capitã (nesse momento Kamala descobre um dos seus poderes, a metamorfose). Com este poder que acaba de descobrir, Kamala pode mudar a sua forma e tamanho e pode esticar os seus membros ao estilo de Monkey D. Luffy.

No meio disto tudo, Kamala tenta regressar ao local da festa e acaba por salvar uma menina de se afogar, esta era uma das meninas que tinha sido maldosa com ela.

Mais a frente, após bastante reflexão e ter aceite o seu destino, Kamala decide ser uma heroína como a Capitã e passa a chamar-se Miss Marvel.

 

Mas passemos a história mais diretamente, Kamala vai a uma convenção dos Avenger, chamada de Dia A, ou seja o Dia dos Avengers, e apresentam a sua nova sede dos super heróis do grupo dos Avengers. Neste evento é apresentada a nova aeronave / porta-aviões de nome Chimera. Quando o Capitão América faz o seu discurso ele anuncia uma fonte de energia limpa de nome Terrigen, fonte de energia essa que Bruce Banner achava que era demasiado cedo para ser anunciada. Mesmo assim anunciaram a aeronave / porta-aviões Chimera que estava a usar o Terrigen como combustível e que vem a ser uma dor de cabeça. 

Nos instantes seguintes após este anúncio há uma explosão na ponte de San Francisco e os nossos super heróis partem para o local para investigar. Chegando ao local encontram Taskmaster que está por trás deste ataque. Mas este não é o único ataque a acontecer, existem vários confrontos a acontecer por toda a cidade entre policiais e robôs da Shield que foram roubados e convertidos nesse mesmo dia e agora usados contra os Avengers. É aqui que inicia a ação do jogo e vamos poder jogar alternadamente com todos os heróis para derrotar Taskmaster. Antes de conseguirmos derrotar Taskmaster, ele consegue explodir outra bomba. O nosso querido Capitão América está dentro da nave Chimera e tenta impedir a detonação da bomba, mas em vão. A nave acaba por explodir e o Capitão América desaparece, esta explosão expõem muitas pessoas ao cristal da Chimera incluindo Kamala.

Vemos passar-se 5 anos e Kamala tem agora 16 anos e é uma inumana, os Avengers estão agora inoperacionais e são considerados por muitos uma ameaça para a sociedade. Existem agora milhares de pessoas com poderes e San Francisco é agora uma zona em quarentena. O nosso querido Bruce Banner está agora em depressão e culpa-se pelo acontecido e as indústrias Stark entram em falência e uma nova empresa do mesmo gênero surge liderada pelo Dr. Tarleton com o nome A.I.M.. O intuito desta nova empresa, aparentemente, é encontrar uma cura para os inumanos, mas sabemos que essas podem não ser as verdadeiras intenções.

 

Kamala mantém-se fiel aos nossos super heróis e não acredita que os Avenger tenham culpa desta trapalhada toda e começa a investigar por conta própria. Kamala  está em contacto com uma resistência local e em conjunto hackeiam vários servidores da A.I.M. de forma a tentar obter informações. Nesta busca por respostas encontram uma gravação que mostra que Dr. Tarleton traiu o Capitão América poucos instantes antes da sua suposta morte. Após esta descoberta, Kamala decide fugir de casa e juntar-se a esta resistência. 

Muita coisa acontece até Kamala chegar aos desertos do Utah onde estão os destroços de Chimera, o suposto local de refúgio da resistência. Neste local Kamala encontra Bruce Banner, e após algumas explicações eles decidem reunir os Avenger e todos os que possam ajudar a encontrar a verdade e destruir a A.I.M..

 

Gráficos e Som…

A nível gráfico o jogo está muito bem conseguido e não conta com falhas no decorrer das lutas ou até mesmo cenários. as cutscenes estão muito boas e contam parte da história do jogo. infelizmente as áreas onde a maior parte do jogo acontecem são sempre as mesmas o que deixa um pouco a desejar. Infelizmente também existem trechos das missões secundárias que são reaproveitadas da campanha. Podiam ter feito um esforço para ter os próprios trechos em cada uma das missões. Sendo um jogo que não é assim tão grande e mesmo assim reaproveita trechos constantemente acaba por dar um pouco nas vistas.

O jogo conta com áreas urbanas, florestas incríveis ou destruídas, áreas de gelo, desertos e laboratórios. Dentro das áreas de jogo existem muitas partes destrutíveis, desde coisas grandes a coisas mais pequenas que causam um efeito incrível quando estamos em batalha, o jogo também sofre um pouco com a queda de frames e de optimização dos cenários quando regressamos após uma morte. Temos também inimigos presos dentro das paredes, algo que nos impede de terminar uma fase e iniciar a fase seguinte.

Mas creio que o que salta mais à vista é quando o chão desaparece e a nossa personagem cai numa espécie de limbo infinito, isso é grave. Não é que aconteça sempre mas acontece com regularidade (acredito que possa ser resolvido com atualizações futuras). 

Em relação ao áudio do jogo, as trilhas sonoras estão muito bem conseguidas e os jogadores vão adorar as falas das personagens, seja na voz original como nas dublagens.

Não há muito a apontar neste sentido.

 

Jogabilidade…

No que toca à jogabilidade este jogo está muito bem conseguido e podemos fazer ataques fortes, ataques fracos, saltar, correr, voar (os personagens que conseguem voar), esquivar, mirar adversários, bloquear e contra-atacar.

Cada um dos heróis conta com três espaços para ataques especiais que depois de serem ativados levam algum tempo a recarregar novamente para serem usados novamente. Quando estamos em combate temos de ir adaptando o nosso estilo de luta aos inimigos e ao facto de termos um ataque especial para usar em momentos mais tensos do combate.

Dependendo do super herói que estamos a controlar a nossa experiência de combate é bem diferente, não pensem que os heróis são todos iguais e só muda o visual dos mesmos. 

 

O jogo torna-se um pouco repetitivo pois não existem tantas coisas para fazer. Enquanto estamos no modo campanha as coisas até funcionam muito bem apesar de este modo ser a solo. Temos uma ou outra parte do modo campanha que pode ser em coop online, mas no geral jogamos a solo. já em relação às missões secundárias as coisas são bem diferentes a maioria das missões são em coop online com uma ou outra missão a solo.

Existem fases de jogo onde temos de sobreviver às hordas de inimigos, temos outras fases onde temos de ficar dentro de uns círculos no chão para que alguma coisa aconteça e temos também (Enquanto estamos dentro dos círculos vai subindo uma percentagem que levará uma ação. Enquanto isso vamos derrubando inimigos que vão chegando uns atrás dos outros).

Em relação às fases abertas temos também pouca coisa para fazer, recuperação de caixas de itens, salvar pessoas em perigo e derrotar inimigos perigosos que podem dropar itens interessantes. Muitas coisas nas missões podem mudar, mas na realidade as ações que iremos fazer são exatamente as mesmas. Os inimigos são robôs que têm cores diferentes de forma a sabermos o tipo de ataques que eles têm, mas na realidade eles não são assim tão fortes mas atacam em hordas umas atrás das outras. Também temos alguns inimigos inumanos, mas na realidade são quase um espelho do que vemos com os robôs.

 

Temos também a interface do jogo, de alguma forma faz-me lembrar muito a interface do jogo Destiny mas com uma pitada de Division. vamos para a nossa missão, ganhando XP e distribuindo os pontos de habilidade pela árvore de habilidades das personagens. 

A nossa árvore de habilidade está dividida em três, primária, especialidade e de maestria, e cada uma destas árvores tem umas quatro árvores dentro. dentro destas quatro árvores vamos desbloqueando novos ataque, aumentando o dano ou a durabilidade de alguns poderes. há muito para mexer e melhorar e cabe ao jogador saber em que direção quer levar a build da sua personagem.  Ao mudarmos os atributos nas árvores de personagem não haverá uma mudança no visual mas sim uma mudança nos valores dessas peças )algo diferente do que acontecia em Destiny e Division).

Em relação a armas e itens eles têm nível de raridade, comum, incomum, rara e por ai a fora, os mais raros são mais fortes e certamente têm vantagens extra (como percentagem de dano crítico e mais) que vão ser decisivas nas lutas com inimigos. tamos ainda espaço para três artefactos por herói que também nos dão vantagens e devem ser muito bem geridas pelos jogadores.

 

Chimera e Formigueiro são as nossas bases principais e nelas vamos encontrar vários NPC´s para comprar e vender itens. Também é nestes locais onde vamos poder gerir as missões primárias e secundárias que queremos fazer e ainda os desafios diários e semanais que temos disponíveis onde vamos encontrar inimigos com níveis bem altos.

Nos desafios online é bem mais divertido jogar com amigos e podemos jogar em equipa até quatro jogadores.

 

Também existem as mudanças cosméticas onde os jogadores podem desbloquear ou comprar skins para mudar um pouco a aparência das personagens, mas isso é somente cosmético, não altera em nada os níveis de poder nos nossos personagens. Em relação à parte cosmética temos ainda gestos, finalizações e até placas decorativas.

Para comprar este tipo de itens o jogo conta com dois tipos de moedas, a moeda real e a moeda do jogo que o jogador vai ganhando conforme vai fazendo missões primárias e secundárias.

 

Conclusão…

O jogo Marvel Avenger tem uma duração de 13 a 15 horas e pode chegar até às 25 horas para quem queira chegar aos 100%. Algo que incomoda bastante são os loads, existem loads para tudo e eles são demorados e os jogadores chegam a desesperar. Existem loads para entrar nas fases de jogo, loads dentro das fases de jogo (mesmo sendo estas fases de jogo pequenas), loads para ir para outra etapa da missão, loads, loads e mais loads.

O jogo não é mau, mas certamente está abaixo do esperado e esperam-se várias correções no jogo até ele estar a 100%. O valor cobrado pelo jogo é considerado por muitos caro tendo em conta que trás pouco conteúdo e existe o reaproveitamento de parte desse conteúdo para criar mais conteúdo.

mesmo assim não deixa de ser um jogo interessante e bem divertido que vai ocupar várias e várias horas dos jogadores. infelizmente vão ser mais os jogadores que vão jogar este título e passar a outro quando existir possibilidade disso. 

 

NOTA 8/10

Positivo
  • Nova heroína.
  • História interessante.
  • Gráficos lindíssimos nas fases principais.
  • Sistema de combate.
  • Multiplayer divertido com amigos.
Negativo
  • Loadings longos.
  • Muita repetição de missões.
  • Bugs visuais e de animações.
  • Performance abaixo do esperado.

Um pouco mais sobre o autor…

O Bruno Costa é o editor e supervisor dos conteúdos da Strong Player. É o principal editor que distribui o seu tempo entre criação de notícias, reviews e desenvolvimento de artigos com curiosidades. Gosta de uma variedade de jogos bem extensa mas a sua preferência vai para os jogos de Zombies e para jogos com um modo história envolvente. Adora jogos de ação de mundo aberto com modo multiplayer e o seu preferido é o The Division 2.