REVIEW – Prototype 2

REVIEW – Prototype 2

Junho 14, 2012 Não Por Perplera

Prototype 2 passa-se após pouco mais de um ano do primeiro título. A ação desencadeia-se novamente na cidade de Nova York que mais uma vez foi contaminada com um vírus mortal que transforma os habitantes em mutantes.

O herói de Prototype 2 é um soldado do exército Norte Americano de nome James Heller que perdeu a sua família devido a infecção com esse mesmo vírus enquanto este se encontrava em missão no Iraque. Quando James regressa a Nova York descobre que o responsável pela morte da sua família é Alex Mercer. O protagonista do primeiro jogo disseminou a praga.

No início da história deste jogo o herói é cercado por Mecer, Este por algum motivo transforma Heller em mutante tal como ele. James Heller tem agora uma série de poderes que o vão ajudar a lutar contra o seu inimigo e contra a Blackwatch , a força militar que tomou conta da cidade.

Poderes Sobre-humanos

A cidade de Nova York está dividida em três sectores que vão ter de ser percorridos pelo herói. Em cada um dos sectores encontramos missões que devem ser executadas para se poder prosseguir na história. Para dar um certo toque ao jogo foram acrescentadas várias tarefas secundárias que quando são terminadas dão ao nosso herói novas habilidades.

Heller possui uma série de poderes sobre-humanos que o vão ajudar a percorrer a cidade e a fazer todas as tarefas. Para além de saltar da altura de prédios ele consegue planar de um prédio para o outro e subir paredes como se a gravidade não existisse.

Com o decorrer do jogo o nosso herói vai ganhando novos poderes como por exemplo um par de garras muito idênticas às de Wolverine (X-Men), uma espada, uma espécie de chicote com lâminas que destrói tudo à sua volta e por fim vai conseguir transformar os seus braços em duas bolas de demolição que vai destruir tudo e todos.

Mas não vai ser fácil destruir os inimigos, alguns deles transformam-se em bombas biológicas que explodem quando entram em contacto com outro ser vivo.

Mas se o nosso herói estiver em apuros ele pode controlar outros mutantes que vêm em sua defesa.

Algo que também não podemos deixar de falar é o facto de o golpe mais poderoso ser uma explosão com a qual o herói lança os seus “tentáculos” para todos os lados e destrói meia cidade de uma vez só.

Veículos de fuga

Para variar, quando estamos no meio da destruição e do caos Heller pode conduzir tanques de guerra ou até mesmo pilotar helicópteros. Heller pode ainda usar qualquer tipo de armas dos soldados da Blackwatch na hora de deitar abaixo o inimigo.

A variedade de ataques possíveis durante o jogo faz com que passemos horas divertidas em frente a consola.

Missões e obrigações

As missões secundárias não são uma obrigação mas de certo que o vão divertir muito.

Existem as “caixas pretas” que o jogador pode coleccionar para ganhar bónus e também conhecer partes da trama que envolvem a criação de Mecer Virus, grupos de combate especiais para serem localizados e destruídos e também prédios cheios de monstros.

Cada missão cumprida rende ao jogador pontos de experiência que ajudam a evolução do herói. Sempre que Heller sobe um nível ele ganha um ponto que pode ser utilizado para habilitar mutações específicas.

Dentro da cidade vamos encontrar personagens com habilidades especiais que podem ser absorvidas por Heller para aumentar os seus poderes.

Em busca do agente secreto

 James Heller pode absorver outros seres humanos, esse poder dá garantias ao herói e possibilita a visualização das memórias da vítima. Graças a isso será possível disfarçar-se de qualquer personagem presente na cidade, inclusive de membros da Gentek ou da força especial Blackwatch.

Algumas missões vão exigir que Heller consuma um determinado cientista para que ele possa verificar as suas memórias para poder aceder a um computador central e prosseguir com uma determinada tarefa. Outras missões vão exigir que assuma a identidade de um militar de alta patente para se infiltrar no quartel general inimigo e interceptar informações valiosas.

 O som

 O som de Prototype 2 é muito bom, as dublagens dos personagens conseguem passar as emoções de cada momento, seja o ódio de Heller quando encontra Meecer ou o sarcasmo de Mercer quando conversa com o herói deste jogo.

As cutscenes são um dos destaques deste jogo, com alguns vídeos a preto e branco e efeitos coloridos, com detalhes muito bem produzidos, tudo isso chama a atenção pela qualidade.

O que tem de mau…

Apesar dos gráficos serem razoáveis, as animações são muito simples. O sistema de colisão deixa muito a desejar, por exemplo, quando atacamos um tanque de guerra mais parece que acabamos de chocar contra esferovite.

Os efeitos especiais das explosões são muito simples dando mesmo a impressão que a produtora se limitou a copiar os efeitos do seu anterior jogo tendo só o trabalho de melhorar a composição das imagens.

Outro ponto que não esteve bem é que não existe nenhum inimigo a altura do herói do jogo, o que acaba por ser frustrante.

Com tantos poderes acumulados é impossível haver inimigos à altura. Outro ponto interessante é que quando terminamos o jogo podemos iniciar um novo jogo com todos os poderes adquiridos no jogo anterior.

Assim que iniciamos o novo jogo podemos colocar a dificuldade “Impossível” o que poderá ser um pouco mais impressionante mas que certamente não será assim tão impossível para o nosso herói.

Fica ainda a ideia de que algumas missões são repetições de outras anteriores.

O que tem de bom…

Em Prototype 2 encontramos uma história simples mas convincente, a jogabilidade é boa e muita violência e destruição.

O sistema de jogo foi simplificado em relação ao primeiro título tornando assim a aventura mais dinâmica e focada na diversão.

Mesmo tendo alguns problemas com as animações, o jogo tem um visual muito atrativo principalmente nas cut-cenes.

A história está muito bem elaborada e quase todas as perguntas são respondidas no decorrer do jogo.

A diversão é quase sem limites para quem gosta de uma boa dose de destruição e o nível de possibilidades para que isso aconteça é enorme. São muitas horas de explosões, desmembramentos e destruição de quase todas as maneiras que podemos imaginar.

 

NOTA: 8/10

Positivo
    Negativo